quinta-feira, 4 de agosto de 2016

📢 Praça Pública: vozerio do blog

"Estou esperançoso, o impeachment é um fato novo; o Brasil tem uma nova chance"

Abílio Diniz: o moderno que disfarça
o golpe
EstadãoÀs vésperas da aprovação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o empresário Abilio Diniz, ex-dono do Grupo Pão de Açúcar (GPA), e hoje terceiro maior acionista do Carrefour global, diz estar esperançoso com as mudanças que estão por vir. Abilio diz que foi próximo dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, mas que agora o País está diante de um “fato novo”. Para o empresário, o Brasil tem de passar por uma ampla reforma – que inclui cortes nos gastos públicos, revisão tributária, política e da Previdência. E defende abertamente um assunto espinhoso: aumento dos impostos. “Se a atividade econômica cresce, aumenta a receita. Enquanto não cresce, tem de aumentar o imposto. E é aí que vão dizer: De jeito nenhum! Não podem aumentar imposto. Isso é contra o País, é hipocrisia”, diz o dono da Península, gestora de investimentos com cerca de R$ 10 bilhões em ativos, incluindo participações na gigante de alimentos BRF (dona da Sadia e Perdigão); Anima Educação e outros negócios. A volta da CPMF e o fim da guerra fiscal entre os Estados estão entre as bandeiras de Abilio (a seguir, os principais trechos da entrevista).


A conspiração dos corruptos: 

Comissão discute afrouxar anticorrupção (Estadão) ★ A anistia da Lava Jato (Maria Cristina Fernandes, via Mídia Ninja) ★ Delação de Marcelo Odebrecht compromete Temer, Skaf e Padilha: matérias do Estadão e da Folha.


A invisibilidade negra na cidade olímpica

Mídia Ninja: Como Elza Soares anuncia em sua canção, a carne mais barata do mercado é a carne negra. Tivemos quase duas décadas de avanços sociais reconhecidos mundialmente, que serviram de exemplo para muitos países adotarem políticas progressistas e de valorização humana. O Brasil diminuiu a sua extrema pobreza de 25% em 1990 para 3,5% em 2012, mas esses avanços foram interrompidos pelo golpe socio-político-judiciário-midiático pelo qual estamos passando.

O sangue que escorre é preto. E preta é a maioria da população brasileira. A cor que começava a mudar o seu papel na sociedade, novamente marca as mãos da polícia e mancha as calçadas e capas de jornais. O atual governo golpista, apesar de informar que não haveria cortes nos programas sociais como o Bolsa Família, que foi crucial para o crescimento inclusivo do país segundo relatório da ONU de 2015, está em processo de desmonte das políticas públicas inclusivas, mas há resistência. Negros, mulheres, ativistas, movimentos sociais e cultura se levantam contra o golpe nas mais diversas formas (continue a leitura)


Senador diz ter poder de nomear até melancia

Senador Hélio José não esconde:  é
um picareta.
Assista ao vídeo que registra sua prepotência
Blog do JosiasÀs vésperas do julgamento de Dilma Rousseff, o Diário Oficial da União tornou-se um território fértil para os senadores que se dispõem a votar a favor do impeachment. O senador Hélio José (PMDB-DF), por exemplo, acomodou no comando da Superintendência do Patrimônio da União do Distrito Federal, órgão vinculado ao Ministério do Planejamento, um assessor chamado Francisco Nilo Júnior. Os servidores do órgão não gostaram. Abespinhado, o senador foi à repartição na última terça-feria (2). E avisou aos descontentes: “Isso aqui é nosso. Isso aqui eu ponho quem eu quiser aqui. A melancia que eu quiser aqui eu vou colocar!”

Por mal dos pecados, um dos servidores presentes à reunião gravou a manifestação do senador. O áudio ganhou a internet. Quem ouve fica com a impressão de que o orador instalou uma porteira na entrada da SPU, responsável pela administração dos imóveis e das terras da União no Distrito Federal. A certa altura, o orador explica que plantou Francisco Nilo na SPU porque “ele tem lado.” Deixou claro que sua melancia é fiel: “O lado dele é o senador Hélio José, que é o responsável pela SPU a partir de hoje. A partir de hoje, a SPU é responsabilidade minha, do senador Hélio José, gabinete 19, da [ala] Teotônio Vilela (leia a íntegra da postagem de Josias de Souza no Uolhttp://tv.uol/14vnP


PT perde o rumo da representação política e amarga isolamento fatal para sua sobrevivência

Esvaziamento ideológico do PT
se aprofunda 
Estadão: As correntes de esquerda do PT aproveitaram a reunião da Executiva Nacional do partido desta quinta-feira, 4, em São Paulo para abrir o debate interno sobre como a legenda deve se posicionar em um governo Michel Temer depois de uma eventual aprovação do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A Mensagem, segunda maior força do PT, fala em risco de “ruptura da unidade” partidária. 

O foco da Executiva foi a preparação para as eleições municipais – Dilma ficou em segundo plano, mas a esquerda petista fez circular dois textos que devem pautar a próxima reunião partidária. Em um deles, Carlos Árabe, secretário nacional de Formação, e Liliane Oliveira, integrante da Mensagem, disseram que a aproximação de petistas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) – um “golpista”, segundo eles –, pode levar a uma ruptura no partido (leia a matéria inteira)


Pokemon Go altera a rotina em São Paulo

O Estado de Minas: Nem comida gourmet nem ciclovia. O que os paulistanos realmente querem na Avenida Paulista, nos últimos dias, é jogar Pokémon Go. O aplicativo dos monstrinhos virtuais, que chegou ao Brasil na última quarta-feira, 3, dominou os smartphones e transformou os transeuntes de São Paulo em verdadeiros zumbis, assim como nos quase 60 países onde o game está disponível no mundo.

Embora o desenho seja voltado para crianças, Pokémon Go não tem restrição de idade. O analista de sistema Marcos Alexandre, 34 anos, comemorava em voz alta com os amigos a captura de um “Pidgey”, um dos monstrinhos do jogo. “Alguém vai acabar sendo atropelado nessa brincadeira”, disse, enquanto atravessava a rua. Do outro lado da rua estava a arquiteta Denise Córdoba, 38 anos, que trouxe dois filhos pequenos para jogar. Jonatas, 11 anos, e Felipe, 6 anos, não tiravam os olhos do celular. “Não pude levá-los para a escola hoje, então os trouxe para brincar”, disse a mãe (leia a matéria inteira)


Não dá mais pra o comitê da Rio-2016 fugir das explicações

A figura de Temer piora tudo
Folha"Me salva aqui". Foi esse o pedido do diretor-geral do comitê organizador da Rio-2016, Sidney Levy, ao chefe de comunicação da entidade quando se viu diante de jornalistas que queriam explicações sobre as críticas à organização do evento.

Não eram da delegação da Austrália. Quem havia soltado o verbo eram os cartolas do COI (Comitê Olímpico Internacional). Problemas com trânsito, segurança, decoração e sinalização das instalações e finanças estão entre os setores considerados mais preocupantes.

Um dirigente citou atletas esperando em longas filas. Esbravejou contra o trânsito e fez críticas à segurança (continue a leitura na coluna de Mariana Majolo)


Donald Trump: retrato de un (presunto) sociopata

Jot Down: En 1979, Stephen King publicó la novela La zona muerta. En ella, un tipo llamado Johnny Smith despertaba de un grave accidente de coche después de cinco años en coma y descubría que era capaz de predecir el futuro a través del contacto, ya fuera tocando un objeto o a una persona. Ese don (o maldición, según se mire) llegaba a su cenit cuando estrechando la mano de un político en un mitin descubría que este no iba solo a llegar a presidente de los Estados Unidos, sino que iba a iniciar la tercera guerra mundial. 

Es imposible no pensar en el relato (convertido más tarde en —magnífica— película por David Cronenberg) al leer el terrorífico artículo de la periodista del New Yorker, Jane Mayer, sobre el escritor Tony Schwartz. Schwartz es conocido, principalmente, por ser el auténtico autor de The art of deal, el superventas de Donald Trump donde este decía (entre otras cosas) que estrechar la mano de alguien era sumamente peligroso por los virus y bacterias que podían transmitirse, y que por eso se abstenía de hacerlo. Schwartz afirma en el artículo que no tiene ninguna duda de que si Trump gana las elecciones y se hace con la presidencia de los Estados Unidos «lanzará los misiles nucleares a la primera oportunidad que se le conceda» (continue e leitura do texto original)


Brasil chega à Olimpíada sem cara

Lembram?
El País: O mais fascinante desta Olimpíada no Rio é a negação de uma ideia de Brasil. É a impossibilidade de apresentar um imaginário coeso sobre o país para fora – e também para dentro. É a total impossibilidade de conciliação. Esta é a potência do momento – confundida às vezes com fracasso, com estagnação ou mesmo com impotência. O Brasilchega à Olimpíada sem que se possa dizer o que o Brasil é.

Para que isso se torne mais claro, é preciso voltar ao ano de 2009, ao momento em que o Brasil foi escolhido para sediar a Olimpíada de 2016. Há vários vídeos sobre o discurso de Lula após o anúncio. Não o discurso oficial, mas o discurso do então presidente feito para as câmeras de TV. Aquele que é espetáculo dentro do espetáculo. Particularmente, prefiro o da Globo (assista aqui), pelo que esta rede de comunicação representa na história recente do país, e pela linguagem que escolhe ao contrapor a fala de Lula com a reação dos apresentadores e comentaristas. Quando se pensa que essa “conciliação” foi possível apenas sete anos atrás, tudo fica ainda mais interessante (continue a leitura do texto de Eliane Brum)

MBL - Movimento Brasil Livre e junho de 2013. Uma franquia americana que depois do impeachment está presente no Escola sem Partido.

Foto: Daniel Queiroz/ND

IHU: “Não acho que o MBL ocupou um espaço vazio. Acho que ele criou seu espaço de forma planejada e patrocinada por essa direita representada nas fundações americanas”, diz Marina Amaral à IHU On-Line, ao analisar rapidamente os desdobramentos das manifestações que iniciaram em 2013contra o aumento da passagem e que culminaram, posteriormente, em uma série de manifestações difusas por todo o país.

Na avaliação dela, que vem acompanhando jornalisticamente as manifestações que têm ocorrido no país desde 2013 até este ano, o protesto que ficou conhecido com a frase de ordem “não é por 20 centavos” “foi incorporado e ressignificado pela direita naquele momento” inicial, e tem sido representado peloMovimento Brasil Livre – MBL, que tem como principal expoente Kim Kataguiri. Segundo ela, o MBL “não tem base, foi criado de baixo para cima, e não por acaso agrada justamente àqueles que nunca militaram politicamente” (leia aqui a íntegra da entrevista de Marina Amaral)

Um pequeno jornal se faz com manchetes deste tipo

Pensei que o pior jornal do mundo
fosse a
Gazeta de Galápagos
O editor do jornal Diário de S. Paulo não deve ter a menor ideia do que faz, a julgar pela incorreção (e, o que é pior, insensibilidade) da manchete que esse panfleto do reacionarismo político paulista deu na 6a feira, 29 de julho. Os ingênuos, sempre apressados em oferecer alguma justificativa que nos deixe mais serenos com a crise das narrativas, certamente dirão que o equívoco do texto é resultado da correria do fechamento a edição. Bobagem e má fé, pois também nas páginas internas, como se pode ver aqui, o mau gosto se repetiu, agora com a assinatura da pobre repórter que certamente não tem ideia do significado das palavras "atrativos" e "vantagens".

Não tenho certeza de que estamos vivendo uma crise no jornalismo que justifique isso. O jornalismo é que continua saboreando um profundo vazio intelectual em que vive - condição que o torna uma presa do declínio da esfera pública.


Exonerações na Cultura põem em risco programas de livros e leitura

Biblioteca de Manguinhos corre o
risco de desaparecer por vingança
de pequeno Temer

Outras Palavras: Com uma extensa lista de exonerações de cargos comissionados no MinC, o Diário Oficial da União (DOU) publicou hoje, 26/7, a exoneração dos Coordenadores Gerais de Literatura e Economia do Livro (Lucília Helena Craveiro Soares) e de Leitura (José Roberto Silva) da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do MinC (DLLLB). As duas exonerações de hoje finalizam o desmonte da Diretoria, que já se encontra sem Diretor desde maio com a saída de Volnei Canonica e sem a Coordenadora Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP), Veridiana Negrini, exonerada em 1/7. O Diretor e as três Coordenadorias Gerais compõem a estrutura de comando da Diretoria e são os cargos responsáveis pelos programas do setor no MinC.

Juntamente com a exoneração dos coordenadores gerais anunciada para esta terça-feira foram igualmente exoneradas duas importantes funcionárias da DLLLB (Ana Lúcia Ferreira de Castro e Célia Jeane dos Santos), que acompanham os trabalhos da diretoria praticamente desde seu surgimento em 2008 e dão suporte ao seu bom funcionamento. Com essas exonerações a Diretoria está totalmente acéfala e se desconhecem nomes que irão substituí-los. Soma-se às exonerações a informação de que haverá a transferência da DLLLB da Secretaria Executiva para a Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural (SCDC), que hoje é comandada pela Senhora Renata Bittencourt. Percebam que a SCDC não tem nenhuma ligação imediata com o livro, a leitura, a literatura e as bibliotecas e igualmente nenhuma tradição de trabalho com a área do livro e leitura no âmbito do MinC (leia a íntegra da matéria de José Castilho Marques Neto).

Incansável, Miles Davis morreu puto da vida



Miles Davis murió furioso, enfrentado al mundo. Le habían ingresado en un hospital de Santa Mónica (California), donde los médicos diagnosticaron una neumonía bronquial. Quisieron intubarle; rabioso, se revolvió y en ese momento sufrió un infarto que le dejó en coma. El 28 de septiembre de 1991 desconectaron el respirador que le mantenía con vida.Tenía 65 años y muchos planes: dejar las giras, profundizar en los nuevos modos de producción, tal vez concretar la cacareada colaboración con Prince, pintar más de aquellos cuadros en la onda Basquiat que amigos y coleccionistas le quitaban de las manos. Se había castigado mucho pero en el planeta jazz era inimaginable un futuro sin Miles, sin el gran agitador (leia a íntegra da matéria em espanhol)

Ocupar e resistir, até a moradia com dignidade existir

Mídia Ninja: Nesta segunda-feira ocorreu na Câmara de Vereadores da cidade uma audiência pública sobre o Plano Diretor, com a presença de representantes dos movimentos de luta por moradia e da Prefeitura da cidade. O Movimento de Lutas de Bairros, Vilas e Favelas (MLB) foi representado por Leonardo Péricles na mesa de discussões para levar as pautas do Movimento e exigir condições dignas de moradia para as ocupações da cidade e bairros mais pobres (continue a leitura).


Eleonora de Lucena: elite deu um tiro no próprio pé com o golpe


Brasil 247: "Editora da Folha entre 2000 e 2010, a jornalista Eleonora de Lucena publica um importante artigo nesta terça-feira, em que denuncia como as elites brasileiras foram míopes ao apoiar o golpe de 2016, que levou o vice Michel Temer ao poder provisório; "A elite brasileira está dando um tiro no pé. Embarca na canoa do retrocesso social, dá as mãos a grupos fossilizados de oligarquias regionais, submete-se a interesses externos, abandona qualquer esboço de projeto para o país", diz ela; "O impeachment trouxe a galope e sem filtro a velha pauta ultraconservadora e entreguista, perseguida nos anos FHC e derrotada nas últimas quatro eleições. Com instituições esfarrapadas, o Brasil está à beira do abismo. O empresariado parece não perceber que a destruição do país é prejudicial a ele mesmo"; ou seja: para destruir o PT, o Brasil decidiu se autodestruir" (continue a leitura)

Qual é o maior calote da história do Brasil?

Jorge Queiroz de Moraes
(empreendedor emérito e safado)
Exame: "O empresário Jorge Queiroz de Moraes, dono do grupo de energia elétrica Rede, detém dois feitos notáveis em sua trajetória empresarial. Primeiro, transformou uma combalida distribuidora de energia fundada por seu avô em Bragança Paulista, no interior de São Paulo, em um dos maiores grupos energéticos do país, que chegou a faturar 8 bilhões de reais e a atender 5 milhões de consumidores em 2011. Na esteira do crescimento, Queiroz acumulou um patrimônio avaliado em 500 milhões de reais — e um padrão de vida condizente com todo esse dinheiro. Todos os dias, fazia num helicóptero Bell Jet o trajeto entre a fazenda Boa Esperança, em Bragança Paulista, onde morava com a mulher, Regina, e seis de seus oito filhos, e a sede da companhia, na avenida Paulista" (leia aqui a matéria inteira da repórter Tatiana Bautzer).


Ps: tenho minhas dúvidas sobre o "privilégio" que a revista dá a esse picareta Jorge Queiroz de Moraes colocando-o como o maior caloteiro da nossa história. A própria Exame diz que o maior calote é o da empresa OI... (leia aqui) mas e o diretor da Fiesp que acumula uma dívida fiscal de R$ 7 bilhões com o Estado brasileiro? Não participam da prova os bancos e os sistemáticos calotes das correções monetárias dos planos da era Color e Sarney? E as contas do FGTS que se perderam na migração das contas dos bancos privados para a CEF? Nosso empresariado tem como características principais o parasitismo e a sistemática disposição em ferir direitos dos trabalhadores; agora acrescenta à sua cultura a virtude do roubo.


Temer morre de medo

Alguém dúvida sobre as más intenções
desses dois?
GGN: Michel Temer anda apavorado com a possibilidade de que Eduardo Cunha tenha gravado o conteúdo do que teria sido dito entre os dois em conversas reservadas que manteve com o quase ex-deputado no Palácio Jaburu, sede da vice-presidência: "A suspeita de Temer surgiu em um encontro recente com Cunha", que teria "encaminhado a conversa de modo estranho, ao 'lembrar' o interino de certas parcerias deles no passado. Histórias pouco republicanas, presumivelmente. Ao sentir que poderia cair numa arapuca, o presidente em exercício teria reagido aos gritos com Cunha, no relato de uma pessoa ligada a Temer. (leia aqui a íntegra da matéria de André Barrocal).


Campanha eleitoral no Rio: "matar quem atrapalha"

Terra de ninguém
(clique no mapa para ampliar)
El País: "Uma ligação, dez dias atrás, fez tremer o deputado estadual Deodalto José Ferreira: “Ou você para, ou sua família vai pagar as consequências. E vai ser onde você joga bola ou no Parque São José”. Desde então, o pré-candidato a prefeito pelo DEM em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, região metropolitana do Rio, desistiu até de ir na feira. Hoje fica grudado em um segurança e passou a viajar em carro blindado.
 — Você está com medo?
— Com certeza, muito.

"O motivo da ameaça, diz o deputado, é que ele começa a despontar nas pesquisas e a incomodar os adversários, mas há mais: matar na Baixada é muito fácil e uma onda de execuções injetou o medo nos políticos da região. Desde novembro, nove pré-candidatos e vereadores da região foram executados a tiros. Muitos tiros e alguns em plena luz do dia. 

"Nem todos os crimes têm relação, nem foram necessariamente motivados por disputas políticas – há um crime passional e uma briga de trânsito –, mas a brutalidade dos assassinatos escancarou os perigosos e aceitos vínculos entre o crime – milícias, tráfico e grupos de extermínio – e a política local" (leia a matéria integral de María Martín)


Escola sem Partido é ilegal

Débora Duprat: luz sobre o
obscurantismo
Estadão: Para Ministério Público Federal, projeto Escola sem Partido é inconstitucional. Segundo a procuradora Débora Duprat, "ao defender uma suposta 'neutralidade política, ideológica e religiosa', a proposta confunde a educação escolar 'com aquela fornecida pelos pais', misturando espaço público com privado, além de negar a liberdade de cátedra e contrariar o princípio do Estado laico. (...) Enfim, e mais grave, o PL está na contramão dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil, especialmente os de 'construir uma sociedade livre, justa e solidária" (leia aqui a íntegra da matéria de Fausto Macedo e a postagem Escola sem partido, violência irreparável contra a inteligência). 


Nos EUA, denúncia de congressistas contra o golpe no Brasil

Secretário de Estado John Kerry
vai ter que disfarçar para não
ver a safadeza de Temer e
sua facção
Carta Capital: "Nos Estados Unidos, a denúncia sobre a farsa do impeachment de Dilma Rousseff, encampada por grandes jornais como o The New York Times, ganha força agora entre parlamentares norte-americanos. Em carta destinada a John Kerry, secretário de Estado, 37 congressistas [eram 33 quando esta reportagem foi publicada] do Partido Democrata e diversas entidades sociais e sindicatos, entre eles a influente Federação Americana do Trabalho e Congresso de Organizações Industriais, pedem ao integrante do governo de Barack Obama e provável representante norte-americano nas Olimpíadas do Rio de Janeiro para lidar de forma cautelosa com as “autoridades interinas” brasileiras e de se abster de declarações ou ações passíveis de serem vistas como um apoio dos Estados Unidos à campanha contra a presidenta eleita. É previsto um crescimento do número de adesões à missiva até a segunda-feira 25" (leia aqui a íntegra da matéria de Miguel Martins)


Dívida do Brasil é a que mais cresce na América Latina

Estadão: A agência de classificação de riscos Moody's disse nesta quarta-feira, 20, que a dívida do Brasil é a que cresce mais rapidamente na América Latina. Em dez anos, a relação entre a dívida externa e o Produto Interno Bruto (PIB) do País passou de 22% em 2005 para 38% em 2015, destaca um comunicado da agência. "Apesar de ser um nível relativamente baixo dentro do contexto global, a proporção vai continuar crescendo se a economia do Brasil contrair mais", disse a Moody's no relatório, que também aponta a dívida externa do México como uma das que cresce mais rápido. A agência apontou ainda que as economias emergentes estão ficando cada vez mais vulneráveis a choques externos após uma década de aumento da dívida. No relatório, a Moody's disse esperar que o crescimento econômico global permaneça fraco no médio prazo e que os preços das commodities fiquem baixos por vários anos, o que deve afetar a receita em dólares e acumulação de reservas de países exportadores de commodities (acesse o texto integral da matéria)


O pato da Fiesp e o liberalismo tupiniquim

Carta CapitalE eis que o empresário Laodse de Abreu Duarte, diretor da Fiesp, deve para a União R$ 6,9 bilhões. A dívida é maior que a de 18 estados brasileiros, como Bahia e Pernambuco, segundo revelou a imprensa. O calote de Abreu Duarte diz muito sobre as relações econômicas do Brasil, um país onde os empresários adoram pregar o Estado mínimo, conquanto que seja mínimo para os outros, porque para os donos do poder a regra é sempre mamar nas tetas bem graúdas desse mesmo Estado. 
O discurso padrão da Fiesp e de partidos como o PSDB e o DEM é o de que o Brasil tem um governo imenso, que precisa ser enxugado, que somos um país onde se paga muitos impostos e nada se recebe de volta de um Estado ineficiente e grande (continue a leitura).


Temer recebe garantia do impeachment por Renan

GGNA inclinação de Michel Temer de deixar o Ministério do Turismo nas mãos de um apadrinhado de Renan Calheiros (PMDB-AL) tomou densidade após a reunião do presidente do Senado com o interino e o novo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). É que no encontro da noite desta terça-feira (19), Renan assegurou a Temer que vai atuar para o impeachment contra Dilma Rousseff passar no Senado. De acordo com reportagem de O Globo, Renan mostrou-se "engajado" na aprovação da saída definitiva de Dilma e chegou a fazer, ao lado de Temer e Maia, uma conta dos votos já alcançados de parlamentares. Antes disso, o peemedebista evitava tocar no assunto, tentando transmitir certa isenção sobre o processo (continue a leitura).


Estrella: projeto Serra entrega o filé mignon

Brasil 247Na segunda parte de seu depoimento ao 247, o diretor aposentado da Petrobras, Guilherme Estrela, recorda o papel de Lula na criação de regras do pre-sal, inclusive a condição da Petrobras como sua operadora única, centro dos questionamentos ao  projeto de José Serra, em tramitação no Congresso. Líder da equipe que encontrou o pré-sal, Estrela diz que é justamente a posição de operadora única que pode garantir que a Petrobras se transforme numa das principais produtoras de petróleo mundiais (continue a leitura). Leia ainda: Petroleiros começam greves em defesa da Petrobras (Outras Palavras).

Advogados são impedidos de ver presos...


Por enquanto, sem os capuzes de

Guantânamo
Uol: "Advogados dos suspeitos de preparar atos terroristas afirmaram ao UOL Esporte que foram impedidos de ver seus clientes na última sexta-feira. Os acusados detidos na última quinta pela operação Hashtag por suspeita de atos terroristas estão presos em um presídio federal de segurança máxima no Mato Grosso do Sul. "A reportagem apurou que as autoridades do local não deixaram que os presos sequer assinassem as procurações que tornariam os advogados formalmente seus representantes legais. Se posse deste documento, os advogados disseram que não podem ter acesso aos autos da investigação, conhecer os motivos que levaram seus clientes a serem presos e nem entrar com um pedido de habeas corpus caso entendam que a prisão tenha sido ilegal" (leia aqui a matéria inteira de Márcio Neves e Vinicius Segalla e assista à entrevista feita pela TV Estadão com a mãe de um dos presos).

Aposentadoria privada: os sons que vêm do Chile

Exemplo do modelo neoliberal de
aposentadoria, o Chile barbarizou
a vida dos trabalhadores
Mídia Ninja: As AFP chilenas são as Administradoras dos Fundos de Pensões, que não são mais do que instituições financeiras privadas encarregadas de administrar os fundos e poupanças da previdência dos trabalhadores chilenos. Foram criadas em 1980, durante a ditadura militar de Augusto Pinochet; quem, através de um decreto de lei, reformou o sistema de previdência transformando-o num sistema de capitalização individual.Antes disso, existia um sistema de partilha que era administrado por caixas de previdência, através das quais se cotizavam os contribuintes e se entregavam as prestações correspondentes. Esse sistema foi mantido apenas para as Forças Armadas e Carabineros (Polícia Militar Chilena).

O grande escândalo é que, logo de 35 anos deste sistema "revolucionário," os grandes beneficiados não têm sido exatamente os trabalhadores, e sim as empresas administradoras. Dados da Comissão Bravo, responsável por fazer um diagnóstico do atual sistema chileno de pensões, demonstram que os primeiros trabalhadores que contribuíram desde o princípio com esse sistema, que deverão se aposentar entre os anos 2025 e 2035, não receberão, em média, mais do de 15% do valor mensal com o qual contribuiram nos últimos 10 anos.Além disso, existe uma grande diferença entre as pensões que recebem as mulheres e aquelas recebidas pelos homens, com prejuízo destas (continue a leitura).

Desafio a dois economistas

Outras Palavras: No domingo passado (17), os economistas Marcos Lisboa e Samuel Pessôa malharam, com razão, o Judas da vez: a tal da Nova Matriz Econômica (NME). Na entrevista em que criou o termo, em 2012, o então secretário de Política Econômica, Márcio Holland, enumerou os pontos de ruptura com as políticas vigentes entre 2006 e 2010: “Essa matriz combina juro baixo, taxa de câmbio competitiva e uma consolidação fiscal ‘amigável ao investimento'”, o que, junto à “intensa desoneração dos investimentos e da produção”, garantiria a retomada do crescimento. Em seu artigo, Marcos Lisboa e Samuel Pessôa elencam 12 medidas que distinguiriam os governos petistas desde 2009, após a saída do ministro Palocci da Fazenda. Para não apagar da história o caseiro Francenildo, lembremos que a saída de Palocci se deu em 2006, quando se iniciou um momento ímpar na trajetória de crescimento do país, com forte expansão do emprego e diminuição das desigualdades salariais (continue a leitura da matéria de Laura Carvalho e ainda: Dívida do Brasil é a que cresce mais rápido na América Latina, do Estadão, e O pato da Fiesp e o liberalismo tupiniquim, de Carta Capital).


Globo pede o fim da Universidade Pública para acabar com o déficit fiscal

O desvario do jornal O Globo e o cinismo com que defende causas anti-sociais e contrárias aos interesses da sociedade brasileira chegou hoje a um ponto que transita entre a bobagem e a piada. Num texto carregado de frases vazias e aparentemente escritas com o objetivo de sensibilizar o senso comum, o jornal repete a ladainha de que a universidade pública é espaço para privilegiados e o seu fim - com a introdução generalizada do ensino superior pago - seria o melhor caminho para acabar com o déficit fiscal. Vale a pena ler a íntegra desse que é certamente um documento fidedigno do caminho que as elites do impeachment traçam para o país.
______________________________