sexta-feira, 9 de março de 2012

Modernização inconsistente

Industrialização brasileira: correndo contra o tempo, mas na direção errada

Penso que as causas do retrocesso evidenciado no declínio da participação da indústria na riqueza nacional são muito complexas e dificilmente tenho condições de esgotar toda a análise que elas merecem num post destas dimensões, mas me parece que essas causas devem ser procuradas na virada do modelo associado às práticas financeiras e mercantis do neoliberalismo implementadas dos meados dos anos 90 até os dias de hoje - virada que consolidou os mecanismos de transferência de renda para o grande capital internacional (leia as matérias sugeridas abaixo sobre a sangria financeira que as multinacionais promovem sistematicamente no país). Acredito que uma linha paralela que permitisse visualizar, no tempo, a intensidade da ação desses mecanismos e o declínio do peso da indústria no PIB, demonstraria a ascensão de uma (a da transferência de renda) e o declínio da outra (o retraimento da indústria).

Esse resultado, na hipótese de que a causa apontada acima possa ser comprovada, não deixa bem nenhum dos governos desde a eleição de Collor: todos participaram do aprofundamento dessa deformação estrutural do crescimento econômico recente. Empresários de todos os setores, a tecnocracia estatal, a inteligência acadêmica na área da economia, todos esses segmentos, de alguma forma, legitimaram o modelo e enalteceram suas virtudes - em nome da lucratividade para uns e em nome da governabilidade para outros. O resultado é o que aparece agora das cifras divulgadas pelo IBGE: o país correu contra o tempo na obsessão pelo crescimento econômico, mas parece que correu na direção errada.
______________________________  


Recomendo ainda a leituras das matérias publicadas no Estadão sobre a estagnação industrial e sobre a descapitalização que os investimentos estrangeiros promovem no país.

* Indústria parou de crescer há 3 anos ( 11/09/2011).

* Especular é mais lucrativo que investir (16/11/2011).

* Multis aceleram remessa de lucros ( 24/11/2011).
______________________________

Nenhum comentário: