domingo, 7 de julho de 2013

Pois é... não entendi...

Dilma Roussef está confusa e carente de um projeto que lhe restitua a confiança popular
Minha convicção é fundada numa observação elementar: o governo Dilma não tem projeto e sua ação é caracterizada por um corre-corre estabanado que transforma o poder executivo numa colcha atravessada pelo atendimento pontual e errático das demandas que vão surgindo... No final das contas, ninguém fica satisfeito porque tudo é incompleto; mas mais insatisfeitos ainda ficam os setores da sociedade civil que têm menor poder de pressão sobre o governo e que vivem sob a manipulação dos tais formadores de opinião. Veja-se o caso, por simples exemplo, dessa história de sigilo sobre as despesas do governo feitas em viagens ao exterior... Alguém pode me ajudar a entender as razões disso? Pois ontem Dilma proclamou-se mais uma vez inimiga da corrupção. Se é mesmo, como eu tenho convicção de que seja, por que uma medida como essa que vai na contra-mão da transparência da administração pública? Imagino que muitos manifestantes que foram às ruas nesta semana certamente fizeram-no também por conta da indignação que esses sinais trocados do governo provocam...

O pior, no entanto, me parece ser essa promessa vazia de melhoria nos serviços públicos. Ou a presidente está mal-informada sobre a capacidade financeira do Estado em cumprir isso ou faz uma arremetida para a campanha eleitoral de 2014. É do Estadão deste sábado a informação de que a renúncia fiscal, instrumento do qual governo lança mão para estimular os investimentos privados, cresceu 8 vezes em 2013 e alcançou a cifra de 1,6 bilhão de reais. O resultado, contudo, é nulo, já que os empresários se valeram das isenções fiscais para ampliar suas margens de lucro, enquanto o Estado vê reduzido seu principal instrumento de ação social. A desoneração, por isso, mais agrava a crise do que a ameniza...

Não sei se a fala de Dilma arrefece ou anima mais ainda os movimentos diversos que emergiram nos últimos dias, mas certamente o pronunciamento da presidente é mais um exercício de retórica do que propriamente uma indicativo de determinação política e administrativa que busque corrigir, mesmo que a longo prazo, os problemas mais graves da sociedade brasileira.

* Sobre as razões da crise e sobre a crescente deterioração política que o país atravessa, sugiro a leitura da coletânea de artigos que organizei na pasta do dropbox intitulada Festa Junina no País inteiro, uma espécie de Ocupa Brasil caboclo e tardio. Vale a pena navegar pelos textos que estão disponíveis ali.
______________________________

Nenhum comentário: