sábado, 28 de março de 2015

Renato Janine Ribeiro no MEC

O novo ministro, por ser quem é, pode resgatar o MEC das mãos da burocracia e dos interesses privados que impedem que a Educação promova o desenvolvimento do ensino de qualidade e a pesquisa científica. É um sopro de mudança talvez inédito no setor desde Anísio Teixeira
A notícia de que Dilma nomeou para o ministério da Educação o Professor Renato Janine Ribeiro acende, pela primeira vez em muitos e muitos anos, a esperança de que a pasta estará em mãos de um intelectual de todo o respeito para dar conta dos desafios que a sociedade brasileira enfrenta no setor. 

Conheço a produção intelectual do novo ministro e pude acompanhar sua passagem pela diretoria de avaliação da Capes enquanto fui consultor da agência na avaliação nacional dos programas de pós-graduação da área de Ciências Sociais Aplicadas I. Essas duas experiências me permitem olhar a nomeação de Dilma com muito otimismo: Janine Ribeiro não pode ser incluído na lista dos ministros que estão onde estão porque foram leiloados em acertos partidários ou como resultado dos lobbies que faturam espaços de poder para seus interesses particulares, mas por sua sensibilidade como educador e cientista. Meu otimismo, que se manifesta pela primeira vez desde o fim do primeiro mandato de Lula, está fundado no fato de que, com o novo ministro, é possível pensar-se num projeto para o MEC que tenha a consistência de um suporte efetivo para o desenvolvimento. Posso até sonhar que é o fim da linha para a facção dos empresários que deixaram a Educação irreconhecível, tantas foram as falcatruas que aplicaram na sua gestão.

Prevejo embates duros para Renato Janine Ribeiro, mas um governo que na sua origem está comprometido com mudanças estruturais, é isso mesmo: luta e avanço sobre os interesses privados que espoliam a sociedade, qualidade no ensino, na pesquisa científica e dignidade para os profissionais que atuam na escola.

* Perfil: Renato Janine Ribeiro, um educador no ministério da Educação * Ideias: entrevista concedida ao repórter Bruno Bocchini, da Agência Brasil * A essência da técnica não é nada técnico * Acredito na Educação como Libertação * Ministro quer universidades federais mais engajadas no ensino básico.
______________________________

Nenhum comentário: