sexta-feira, 17 de junho de 2016

Onde foi parar o meu país?

O interinato de Temer é um fake do Vaudeville sem a graça do original, mas
com seus palhaços, mágicos fajutos, exibição de musculatura flácida e uma
bailarina loira que imagina estar no centro das atenções
Mas Padilha não parou por aí. Ignorando o sentimento de indignação popular que não para de subir a cada nova denúncia de que o cerne da corrupção encontra-se, agora sim, instalado no Palácio do Planalto, com o envolvimento direto de Michel Temer na apropriação dolosa de recursos financeiros para si e para o seu partido, o Chefe da Casa Civil não teve dúvidas: é preciso estancar a sangria que a Operação Lava Jato está agora provocando na quadrilha que golpeou Dilma, como se não tivesse sido esse o verdadeiro objetivo da conspiração desde o início. Segundo ele "os agentes da operação" precisam "sinalizar o momento" em que as investigações vão se encerrar. Ou seja, quando é que isso vai acabar, ainda mais agora que toda a dimensão da corrupção mostra que ela afeta a governabilidade dos golpistas? É preciso ler aqui toda a lógica da argumentação do "ministro" para que entenda a enormidade do crime que ele pretende que se cometa: o acobertamento das práticas que envolvem justamente os protagonistas do golpe. É o primeiro que propõe claramente, ainda que de forma sutil, o fim da Lava Jato antes que seja tarde.

De Padilha, claro, ninguém esperaria outra coisa nem daqueles que representa. O que ninguém esperava, num mesmo dia e de uma mesma "autoridade", foi o chega pra lá que ele deu em Marta Suplicy na sua pretensão de se candidatar, pelo PMDB, à Prefeitura de São Paulo. A história de Marta  nesse triste episódio de sua adesão ao golpe é conhecida de todos. O que ninguém consegue entender direito é o preço que ela paga, em termos de humilhação e desprestígio, para ficar ao lado daquilo que de pior a política brasileira tem hoje nas mãos. Sob o argumento de que as eleições de outubro precisam de "caras novas" (leia-se João Dória), o "ministro" parece ter colocado um ponto final nas especulações de que Marta será a candidata do PMDB (leia aqui). Será que ela merece isso? Acho que sim...

O Chefe da Casa Civil de Temer é um traste: deve se imaginar um Golbery civil, articulador, estrategista e o escambau. Nada... está é fazendo das tripas coração para ver se consegue prolongar o estado terminal em que se encontra o governo. Vale dizer: um governo cujo chefe está escondido, cujos integrantes não entendem nem do que falam nem do que fazem, uma verdadeira facção criminosa - como foi possível observar também no dia de ontem. Saboreie as indicações de leitura logo abaixo:


 * Padilha mente: Padilha nega indisponibilidade de bens e afirma que ação de improbidade é um engano (Estadão) * Por falar em Padilha, MPF pede que o Chefe da Casa Civil de Temer devolva R$ 300 mil aos cofres públicos (Veja, via Estadão) * Delator liga Aécio a esquema na Petrobras (Uol) * Lava Jato resvala em Reinaldo Azevedo (DCM) * Conta na Suiça derruba Henrique Alves (Folha) * Temer envia carta a Henrique Alves: "Agradeço a dedicação e lealdade" (Globo) * Machado rebate Temer e confirma pedido de doações para campanha (Uol) * Na Transpetro, Machado relata que repassou R$ 100 milhões ao PMDB (Valor) * Machado diz que acertou com Temer propina para campanha de Chalita (Valor) * Machado diz que Aécio pagou para ter presidência da Câmara em 2001 (Valor) * Qual a dimensão da delação de Machado e como ela pode complicar Temer (Nexo) *  Temer evita rádio e Tv e opta por fazer pronunciamento (Valor) * Ministro da transparência nomeia sócia para chefiar seu gabinete (Uol) * Temer diz que acusações são levianas (Estadão) * O xadrez dos homens santos e das eleições gerais (GGN) * Manutenção de sigilo em delação gearei crise entre os Poderes, diz Janot (Folha) * Temer diz que respeito os limites leais para campanhas e nem caixa 2 (Folha) * Para Planalto, acusação contra Temer pode afetar governabilidade (Folha) * Entre traições e subornos, a política brasileira desmascarada (El País) * Do PCdoB ao DEM, propina de Machado não conhece ideologia (El País) * O que há na Justiça contra Michel Temer? (Ópera Mundi) * Com citações a Marina e Serra, Lava Jato amplia atmosfera de suspeita em Brasília (El País).
______________________________

Nenhum comentário: