quarta-feira, 4 de julho de 2018

Tragédia humanitária: o silêncio criminoso sobre os refugiados

Os refugiados do mundo todo não são os responsáveis pela condição sub-humana em que vivem, mas vítimas de um sistema econômico que concentra a renda global em algumas ilhas de prosperidade e que só são prósperas justamente porque
exploram historicamente os deserdados da África, da Ásia e da América Latina.
Como a questão dos refugiados divide a União EuropéiaPela estatística, não há crise. O número de chegadas é menos da metade do registrado em 2017. Mas o bloco se vê refém de partidos populistas de direita, que tornam o assunto motivo de disputa dentro da UE.

Merkel enfrenta cúpula decisiva em BruxelasLíderes da UE se reúnem para tentar resolver suas diferenças sobre imigração e acolhida de refugiados. Para a chanceler federal alemã, eventual fracasso das negociações pode selar sorte de seu governo

Itália endurece na questão dos refugiados e pressiona UECobranças por mais ajuda são antigas, mas populista Salvini eleva o tom e reforça postura com recusas à atracagem de navios de resgate. Em jogo está a existência do projeto europeu

União Europeia fecha acordo para conter fluxo de imigrantesPara desafogar Itália e Grécia, outros países abrirão centros de acolhida e trâmite de refúgio

UE sela pacto para criação de centros de triagemAs unidades, controladas dentro do bloco, serão destino de imigrantes resgatados no mar. Nesses locais, os prováveis refugiados serão separados dos chamados imigrantes econômicos

União Europeia se entrega à pressão dos populistasSem muita resistência, bloco se curva à vontade de Salvini, Kurz e Orbán e decide fechar suas fronteiras para refugiados. CSU deveria pensar melhor nos riscos do que está fazendo

Milhares protestam contra a política migratória de TrumpManifestantes pedem reunião de 2.300 crianças com seus familiares, presos ao tentar ingressar nos EUA, e também fim da política de linha-dura para imigrantes ilegais

Merkel e ministro do Interior chegam a acordo sobre refugiadosApós reunião em Berlim, chanceler federal e Seehofer anunciam entendimento sobre questão migratória, aliviando a crise que ameaçava derrubar o governo. Ministro, que chegou a oferecer renúncia, diz que ficará no cargo.

* Europa nega abrigo, mas comemora gols dos filhos de imigrantesEntre as equipes do continente ainda no Mundial, todas têm em seus elencos grande número de jogadores de ascendência não europeia.
______________________________

Nenhum comentário: