Brasil Contemporâneo

* Envio de trabalhos deve ser feito por email (jose.faro@metodista.br) com o arquivo anexado à mensagem

Jornalista indignado é diferente de jornalista assustado


Ementa:
O processo de modernização periférica da sociedade brasileira e os condicionamentos globais da economia capitalista. As estruturas internas do poder econômico e social a partir da Revolução de 30. A II Guerra e a redemocratização dos anos 50. O papel do Estado, o nacionalismo e a reconstrução da identidade cultural do país. A crise do populismo e a ditadura militar. A redemocratização dos anos 70, conciliação e mudança. A hegemonia neoliberal e os movimentos culturais que expressam a nova realidade social do crescimento econômico. O Brasil e sua inserção na economia global e no desenvolvimento sustentável.
                                
Objetivos Gerais:
Provocar a reflexão sobre o processo e as particularidades da formação do capitalismo no Brasil e suas repercussões, nas diferentes dimensões da vida social (econômicas, políticas, sociais e culturais) na atualidade. 

Objetivos Específicos:
Destacar as particularidades da formação do Brasil contemporâneo evidenciando o lugar do país no continente latino-americano e, de forma entrelaçada, na divisão internacional do trabalho. Salientar as repercussões dessa trajetória nas práticas econômicas, políticas, sociais e culturais locais. Debater a inserção do Brasil no contexto do processo de globalização neoliberal evidenciando as particularidades desse processo nos diferentes ciclos de governos a partir da década de 1990.

Conteúdo Programático:

* Brasil Contemporâneo (Economia e Política) 
A trajetória de formação do Brasil Contemporâneo 
Desenvolvimentismo e modernização: reflexões críticas 
Capitalismo dependente e repercussões nas diferentes esferas da vida social 
* Os anos de ditadura civil-militar 
* A redemocratização, participação popular: avanços e limites  
* Anos 1990-2000: os governos brasileiros frente à globalização neoliberal.

Metodologia de Ensino:

Aulas expositivas, atividades em sala, com apoio de recursos audiovisuais disponíveis. Cada unidade do conteúdo programático será acompanhada de um ou mais textos sobre os temas abordados. A leitura dos textos e participação nas aulas é obrigatória e recurso indispensável para o bom aproveitamento do aluno em sala de aula e no processo avaliativo.

Critérios de Avaliação:
      
      Serão realizadas as avaliações abaixo:

     As avaliações serão elaboradas respeitando a escala de 0 a 10, com o seguinte peso para efeito da composição da média final do módulo: 

       Atividades das temáticas realizadas ao longo do semestre (50%)

Projeto Integrado

       Avaliação Modular (20%)

      Será considerado aprovado no módulo o aluno que, como resultado das diversas etapas de avaliação, e cumprida a freqüência mínima exigida, obtiver nota final igual ou superior a 7,0 (sete).

     Serão propostos estudos e atividades complementares para alunos com aproveitamento insuficiente em atividades ou no conjunto das atividades propostas no semestre letivo, cuja média final não seja inferior a 4,0 (quatro). Nestas avaliações serão somadas a média obtida no semestre e a nota obtida pelo discente na avaliação complementar. A somatória será dividida por dois, devendo o resultado final não ser inferior a 7,0 (sete) para que o discente possa obter aprovação no módulo.

Bibliografia Básica:

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. A construção política do Brasil. Editora 34, 2016
FAORO, Raymundo. Os donos do poder. Formação do patronato político brasileiro. Editora Globo, 1977.
FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
NOVAIS, Fernando A (org). História da vida privada no Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1998. Volumes I a IV.
SINGER, André. Os sentidos do Lulismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Getúlio a Castelo. Rio de Janeiro, Editora Saga, 1969 e Brasil: de Castelo a Tancredo. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1988.
SOUZA, Jessé. A ralé brasileira. Editora UFMG, 2016

Referências Sugeridas:

BRASIL. Relatório da Comissão Nacional da Verdade. Capítulo 3 - contexto histórico das graves violações entre 1946 e 1988.
BRASIL. Relatório da Comissão Nacional da Verdade. Capítulo 5 - a participação do estado brasileiro em graves violações no exterior.
FAUSTO, Boris. O Estado Getulista. In: História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2004. Capítulo 7, p. 239-327.
FERNANDES, Florestan. Padrões de dominação externa na América Latina. In: Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. São Paulo: Global, 2009.

MENDES Jr., Antônio; MARANHÃO, Ricardo. A Revolução de 1930. In: Brasil História – Texto e Consulta. Volume 4. Era Vargas. São Paulo: HUCITEC, 1989, p. 77-82.
MENDES Jr., Antônio; MARANHÃO, Ricardo. Estado e Industrialização e Estado e Trabalhismo. In: Brasil História – Texto e Consulta. Volume 4. Era Vargas. São Paulo: HUCITEC, 1989, p. 171-186.
OLIVEIRA, Francisco. O Ornitorrinco. In: Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2008, p. 121-150.
PRADO Jr., Caio. O sentido da colonização. In: Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, p. 19-32.


***********

Raízes da crise: a sociedade desigual, história, cultura e resistência

Desigualdade: 10% concentram 52% da renda no país
Fonte: Nexo Jornal


Para entender o tema do curso
* A favela do Parque Cidade Jardim: uma metáfora da São Paulo moderna (ou do capitalismo brasileiro) * Um dia na favela Jardim Panorama
______________________________

Textos de estudo:

* Raízes do Brasil Político: o projeto iliberal (Ilustríssima)
* A dialética da modernização conservadora e a nova história do Brasil (José Maurício Domingues)
* A modernização periférica e seus problemas. Luiz Werneck Vianna (Estadão)
* A política brasileira em busca da modernidade. Angela de Castro Gomes. In: História da vida privada no Brasil. Vol. 4. São Paulo: Companhia das Letras 1998.
* Assim caiu João Goulart (Outras Palavras)
* Brasil: de Getúlio a Castelo. Thomas Skidmore (BIBLIOTECA)
* Brasil: de Castelo e Tancredo. Thomas Skidmore (BIBLIOTECA)

Textos de apoio: 

* Celso Furtado: a dimensão cultural do desenvolvimento. Vídeos com as palestras e debates apresentados na mesa redonda promovida pelo Centro Celso Furtado do Rio de Janeiro.

* Capitalismo tardio e sociabilidade moderna. João Manoel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. In: História da vida privada no Brasil. Vol. 4. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
Para reler o "velho desenvolvimentismo". José Luiz Fiori.
O que é o desenvolvimentismo

O nacional desenvolvimentismo e seu papel na industrialização do Brasil

Entre o nacional e o nacional-desenvolvimentismo: poder político e classes sociais no Brasil contemporâneo

* O longo bonapartismo brasileiro (1930-1964)

* O pensamento desenvolvimentista no Brasil, 1930-1964; 1964-2005

* O Brasil no pêndulo das elites: entre o liberalismo das elites e o desenvolvimentismo autoritário 

O governo de Getúlio Vargas, o Nacional-Desenvolvimentismo e a Industrialização

Getúlio Vargas e o Estado Nacioal Desenvolvimentista

A construção do nacional-desenvolvimentismo de Vargas
O nacional-desenvolvimentismo de Juscelino Kubitschek 

O intelectual pensa o Brasil_ISEB_Fabrício Augusto Souza Gomes

O ISEB e o nacional-desenvolvimentismo: a intelligentsia brasileira nos anos 50

O nacional-desenvolvimentismo e o novo-desenvolvimentismo

Bresser Pereira busca novo desenvolvimentismo

O mal-estar do neodesenvolvimentismo

O governo Lula e o nacional-desenvolvimentismo às avessas

‘Deu errado o ensaio desenvolvimentista’

* A experiência amarga do cruzado (Valor)

O debate sobre o Lulismo (pasta com artigos sobre o tema)

Lulismo: entre o popular e o populismo. Cruz Pires (Contracampo, UFF)

A derrelição de Ícaro

Neodesenvolvimentismo e precarização do trabalho no Brasil – Parte I
Neodesenvolvimentismo e precarização do trabalho no Brasil – Parte II

Neodesenvolvimentismo e precarização do trabalho no Brasil – Parte III

O que é o precariado?

Neodesenvolvimentismo e Estado neoliberal no Brasil

Os limites do neodesenvolvimentismo

 * Neodesenvolvimentismo e classes sociais no Brasil

 * A invasão dos “proletaróides”

 * Precariado e “proletaróides” – Uma nota metodológica 

 * Neodesenvolvimentismo e a nova miséria espiritual das massas no Brasil

 * O mal-estar do neodesenvolvimentismo 

 * A omissão silenciosa e o avanço da precarização trabalhista: as perspectivas do governo Dilma em 2015. Entrevista especial com Giovanni Alves

 * Prometeu envelhecido: proletariedade e velhice no século XXI
A construção e a crise do Estado do Bem-Estar Social

______________________________

Arquivo:


* Consulta obrigatória de dois clippings importantes: ★ A Crise e ★ As razões da crise.
_________


"O capitalismo darwinista não faz política social, quem faz política social é o Estado". Entrevista especial com Juliano Giassi Goularti

Brasil retoma visão anacrônica do neoliberalismo, alerta Bresser-Pereira (GGN)

As avenidas de inclusão no Brasil e uma disputa política intensa. Entrevista especial com Leonardo Avritzer







Novas faces da luta social no Brasil | Blog do Reginaldo Nasser

"Não é aceitável que se faça um ajuste fiscal focado apenas na previdência, sem qualquer medida que atinja o último andar da sociedade brasileira". Entrevista especial com Sérgio Gobetti

Classe A foi a que mais perdeu renda em 2016 (Valor)

Um milhão de famílias entrarão para as classes D e E até 2025 - Época

Poder de compra dos brasileiros cai 9% em dois anos e volta ao nível de 2011 - Economia - Estadão

Em crise, Brasil vê número de milionários aumentar - Economia - Estadão

Proprietários de terra devem quase 1 trilhão de reais à União — CartaCapital

O novo mapa da desigualdade brasileira (Inesc). Leia aqui a versão do IHU.

Brasil: O novo mapa da desigualdade | GGN

Quatro bancos concentram 72,4% dos ativos das instituições financeiras - Economia - Estadão

Opera Mundi - Oito pessoas detêm riqueza equivalente a de metade da população mais pobre do mundo

O novo salto global da desigualdade (Outras Palavras)

71 mil brasileiros concentram 22% de toda a riqueza (G1)

Fazenda divulga relatório sobre a distribuição da renda no Brasil (MF)

A inacreditável concentração da renda e da riqueza no Brasil (Vermelho)

Brasil tem concentração da renda entre ricos próximo da Alemanha (Uol)










Uma nação de zumbis que têm na melancolia seu modo de vida. Entrevista especial com Vladimir Safatle

O sentido da renovação do país | Valor Econômico

Compreensão histórica dop regime empresarial-militar brasileiro_Fábio Konder Comparato_IHU

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - A reinvenção da Era Vargas e o desenvolvimento nacional. Entrevista especial com Carlos Lessa

Como acontece o milagre? – Blog da Boitempo

A revolta das elites brasileiras contra a redução das desigualdades — Rede Brasil Atual

O acordo das elites rasga a Constituição de 1988, por Rui Daher | GGN

Catálogos A Privatização da Democracia - Vigência

A interminável crise política pode adiar a retomada econômica | Economia | EL PAÍS Brasil

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Acabou o amor do mercado com a equipe econômica?

Parece que Temer quer o Brasil socialmente retrógrado, diz coluna do NYT | GGN

O golpe nos feios, sujos e malvados | Opinião | EL PAÍS Brasil

Salário mínimo em dezembro deveria ser de R$ 3.856,23, segundo Dieese - Notícias - UOL Economia

Brasil retoma visão anacrônica de neoliberalismo, alerta Bresser-Pereira | GGN


A quem serve a classe média indignada (entrevista com Jessé Souza, do IPEA, na Ilustríssima)